Estudo mostra como relógio biológico funciona e alerta sobre nossa rotina

Relógio biológico

Popularmente conhecido como relógio biológico, os ritmos circadianos são controlados por mecanismos moleculares e regulam o metabolismo de animais, plantas e seres humanos para que ocorra uma espécie de sincronia entre os sistemas e os horários do dia.

O relógio interno dos seres vivos é capaz de adaptar, com bastante exatidão, a fisiologia nas diferentes fases do dia. Ele é o responsável por regular funções fundamentais, como metabolismo, sono, temperatura do corpo, níveis hormonais e até comportamentos.

Jeffrey Hall, Michael Rosbash e Michael Young, cientistas norte-americanos vencedores do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2017, foram premiados justamente por descobrirem algo que pesquisadores buscavam entender a décadas: como funciona esse relógio biológico e a importância dele para a saúde.

Para o estudo, o trio de cientistas isolou um gene único que controla o ritmo diário do organismo de moscas de frutas, usado como modelo no experimento. O gene, de acordo com o trabalho, codifica uma proteína que se acumula nas células no período noturno e, durante o dia, passa a ser degradada.

Algum tempo depois foram também identificados outros componentes de proteínas que faziam parte do mecanismo de regulação do relógio interno presente dentro de cada célula, mostrando que ele produz uma adaptação ao tempo da natureza, que nem sempre corresponde ao chamado “tempo social”.

O tempo social, segundo os pesquisadores, é aquele determinado pelas horas e não pelo tempo do dia e da noite, regido pela natureza. E tal descompasso observado levou à compreensão de que devemos ficar alerta ao nosso ritmo para evitar problemas de saúde.

A falta de sincronia entre o tempo biológico e o tempo social, de acordo com dados obtidos pelo estudo, pode estar diretamente associada até mesmo a condições graves, como desenvolvimento de cânceres e doenças psiquiátricas, por exemplo.

O próximo passo dos pesquisadores é tentar descobrir como as variações nos genes em diversas populações humanas estão ligadas a padrões de sono e vigília e, assim, estudar novas áreas de atuação para a medicina preventiva.


Links Relacionados


Entenda se os cuidados com a região dos olhos devem ser os mesmos com o rosto

Entenda se os cuidados com a região dos olhos devem ser os mesmos com o rosto

A região dos olhos é muito sensível e, por isso, deve ser cuidada de ....
Academias só com bicicleta ganham público em SP

Academias só com bicicleta ganham público em SP

Academias só com bicicleta aumentam o potencial do spinning com aulas que gastam ma ....
Madonna lança linha de produtos skincare nos Estados Unidos

Madonna lança linha de produtos skincare nos Estados Unidos

Ter o brilho da pele da Madonna já é uma realidade possível para quem ....
Saiba o que são os nevos, as famosas pintinhas na pele e descubra se são perigosas ou não

Saiba o que são os nevos, as famosas pintinhas na pele e descubra se são perigosas ou não

Muitas pessoas têm pintas e sinais espalhados pelo corpo que nem sempre apresentam a ....

Comentários






Fazer Comentário/Pergunta



»










O Site Estéticas se reserva o direito de publicar os comentários deixados aqui, bem como não se responsabiliza nem assina pelos mesmos. Os dados registrados neste espaço são de total responsabilidade dos autores.

voltar ao topo